Boas Vindas!

Você está no Congresso Nacional!
Um lugar onde se junta pessoas dos mais diversos estilos, etnias, gostos e opiniões e ficam aqui, sem qualquer tipo de receio, levando a banca suas palavras e considerações sobre os mais diversos assuntos.
Vamos apresentar nossas idéias, debatê-las ao fundo e, se alguma coisa for útil, agregar às nossas, se não, engavetá-las!

segunda-feira, 24 de dezembro de 2007

Inclusão Digital: Ponto para a ignorância.

Pois bem amigos, venho aqui publicar meu primeiro artigo. Justamente para falar sobre um assunto no qual tenho lidado constantemente, que é a Inclusão Digital. Pois aos que não sabem, trabalho numa Lan House e tenho notado a cada dia que esta ferramenta dada a sociedade não tem sido tão bem aproveitada como poderia. E por quê?

A Inclusão digital, que deveria servir como ferramenta de busca de conhecimento, de troca de informações e até mesmo algo que poderia dar não só aos jovens (o foco do meu artigo) como também aos que tem mais idade, a possibilidade de conhecer novas culturas e curiosidades sobre N assuntos, tem sido utilizada pela maioria como uma mera distração. Pessoas pagam para não ter que fazer um trabalho escolar, e ao mesmo tempo, colocam o pouco dinheiro que conseguem para "olhar o Orkut", MSN e afins.

Vocês bem podem dizer: "Poxa, mas as pessoas têm que encontrar meios de se distrair, de sair do cotidiano".

Concordo, mas o problema é quando esta distração, que é algo louvável, se torna também parte deste cotidiano e, portanto, deixa de ser a distração que era inicialmente e passa a ser algo quase que obrigatório.

Já atendi muitas pessoas, e digo de forma muito otimista que 80% destas pessoas nunca leram um livro, ou se leram, era aquele livro de escola ou livros infantis. As mesmas pessoas não têm uma definição quanto a musica. Não sabem o que ouvem. Ouvem apenas o que sabem. Não usam esta belíssima ferramenta, que é a internet, para sequer procurar coisas do interesse delas mesmas. Se rendem a scraps e comunidades e passam horas fazendo isso sem sequer mover um dedo para procurar algo que enriquecerá seu baixo conhecimento.

Há pouco tempo atrás, a grande desculpa pela falta de conhecimento era justamente, a falta de bibliotecas ou de meios que disponibilizassem a oportunidade de essas pessoas, de o obterem. E agora que elas têm os meios. Não utilizam, ou pelo menos, não da forma mais apropriada.

Obviamente que uma porção de motivos levam os jovens para este caminho mais... digamos, desleixado. Mas que importa? Quando se abre uma porta, ao invés de entrarem, ficam olhando se a fechadura é bonita, ou se a porta é de madeira nobre. Eu morei minha vida toda em um bairro periférico, e nem por isso me deixei levar pelo caminho da ignorância.

Chego à conclusão de que os jovens que de certa forma, tem mais oportunidades e mais ferramentas para ter certo conhecimento e cultura se comparado as pessoas mais velhas (que mal sabem utilizar um computador), porem, simplesmente utilizam destas para evoluir seus personagens e/ou treinar a precisão de seus tiros em jogos de gênero. Ah sim, tudo isso depois de responder todos os scraps, claro.

4 comentários:

Alfredo disse...

Verdade, concordo com você. O aumento significativo do números de computadores por lar no Brasil também se deve, ao meu ver, a esse tipo de atividade. Outra coisa interessante, antes do orkut as pessoas tiravam fotos para guardar momentos ou cenas importantes e prazerosas de sua vida, hoje as pessoas CRIAM SITUAÇÕES para tirar fotos, com o intuito de criar pseudo-identidades no orkut. Coisa de louco...

Quando peço um trabalho para os alunos, já tenho que avisar logo de cara: "Não quero trabalho do tipo Ctrl C Ctrl V!", o que gera protestos violentos. Imagine só, quase todos nem lêem o que copiam da wikipedia, outros ainda nem sequer editam o texto, que acaba vindo com o link na parte de cima da folha, outros ainda só fazem um "print screen" e tá tudo certo. Daí eu dou zero e eles reclamam, alegam que gastaram dinheiro e merecem ganhar nota...

É uma vergonha!

Magno disse...

Sempre que temos uma inovação que sirva de atalho a um fim, a mente humana passa a ser preguiçosa, usando este atalho e esquecendo o caminho mais trabalhoso, um exemplo bem simples disso é a calculadora. Conheço muitas pessoas que são realmente capazes, mas que não conseguem fazer somas simples de cabeça, só conseguem realizar opoerações matemáticas em calculadoras!
No caso do computador, é a mesma coisa. Antes, íamos as raras bibliotecas, faziamos nossas pesquisas, LENDO livros, tirávamos cópias e passávamos o trabalho para o papael, manualmente.
Com a chegada do computador e da internet, isso foi acabando aos poucos. Impressão... Pesquisa na net e, agora, o mais comum é pagar pra alguem fazer ou simplesmente mandar imprimir o texto ou a tela.
Cada vez mais estas facilidades, as quais realmente podem ser usadas de forma maravilhosa, se tornam instrumentos da preguiça e má vontade, corroborando para um Brasil cada vez mais de miniorias.

Fica aqui um conselho ao Alfredo: cara, algo que eu achei legal, não o ideial, é o que alguns professores vêm fazendo. Eles NÃO aceitam mais trabalhos impressos! Desda forma, mesmo que o aluno não faça a pesquisa e pouco se dê ao trabalho de entender o que tem em mãos, ele terá que ler para reproduzir o texto manualmente, pois apesar de ter aqueles que pagariam para que alguém fizesse esta parte de passar o texto à folha, bem mais raros são aqueles que se querem dar ao trabalho de escrever, mesmo que recebem por isso. Fica ai uma "meia" alternativa de conseguir colocar algo na mente dos alunos, mesmo que seja uma simples colação mental de um conteúdo.

Wagnelson da Silva disse...

De fato essa situação faz parte do cotidiano local. Incrível que essa tática "Ctrl C Ctrl V" é usada na advocacia e, inclusive, juízes fazem dela uma ferramenta para proferirem despachos e sentenças, decidindo o "direito" de muitas pessoas. Vergonhoso.

Além do mais a internet, como todos as outras tecnologias, foi banalizada por nossos compatriotas insipientes, que usam do expediente subestimando a riqueza cultural que é própria da tecnologia.

Infelizmente, dadas situações são presenciadas não só em lan houses. No trabalho também vejo momentos engraçados patrocinados pela falta de personalidade. Fotos são tiradas exclusivamente para enfeitar o Orkut, onde Namorados são pesquisadas e xavecadas no Msn.

Impressionante como nossa geração é ridícula, e são poucos aqueles que sabem e lutam para evitar esse mal.

Me parece que a internet, também, virou brazil.

Wagnelson da Silva disse...

Concordo com meu Ilmo. maninho. Essa tática é usada em faculdades, como na que estudo. Chega a ser rídiculo ter-mos que fazer trabalhos manuais. É uma alternativa dolorasa, porém necessária.
Apenas para ílustrar o texto, um ponto interessante disso tudo é que pude perceber que algumas pessoas tem a caligrafia comprometida por essa razão, qual seja, digitação. No rítmo que estamos, logo as pessoas não conseguirão escrever, pois a falta de costume compromete qualquer habilidade.