Boas Vindas!

Você está no Congresso Nacional!
Um lugar onde se junta pessoas dos mais diversos estilos, etnias, gostos e opiniões e ficam aqui, sem qualquer tipo de receio, levando a banca suas palavras e considerações sobre os mais diversos assuntos.
Vamos apresentar nossas idéias, debatê-las ao fundo e, se alguma coisa for útil, agregar às nossas, se não, engavetá-las!

segunda-feira, 17 de dezembro de 2007

Bolívia, terra de ninguém...

O líder esquerdista e cocalero Evo Morales, eleito presidente da Bolivia em 2005 com 53,74% dos votos, vive dias que parecem levar a um divisor de águas para ele e todo seu país. No sábado (15/12/07) os quatro mais ricos Departamentos (Estados) da Bolivia declararam autonomia administrativa ao poder federal.

Esta atitude de afronta à Evo Morales, um grito ante a uma nova constituição votada a mira de rifles, segundo imprensa interna contra Evo, culmina num momento de fortalecimento ou queda de Evo. Ele foi posto contra a parede e tem como alternativas a busca por uma solução diplomática, a qual com certeza terá que abrir mão de muitas de suas ideologias e poder frente aos Departamentos, ou, usar da força contra os rebeldes.

Evo tem um histórico bem interessante. ativista esquerdista indigina cocalero e, por intenção e não execução, terrosista. Evo se elegeu com os votos daqueles que esperavam uma Bolivia melhor, uma Bolivia para os bolivianos. Claro que Evo tem feito muito por estes cidadãos até então de 2ª classe, mas o problema são os metodos utilizados, metodos estes que vêm rachando a Bolivia e apontando para uma deflagração civil ou um golpe militar que, em ambos os casos, levará a violência e morte de inocentes.

Evo tem lutado contra interesses estrangeiros, tanto dos capitalistas estampados em empresas como a Petrobras, como contra os interesses de um enfraquecido "Che" Hugo Chaves, que sonha em ter a Bolivia como seu quintal.

Frustrante e ver que a nossa América, a sulista, mas uma vez parece começar a se afundar em conflitos, estes que sempre vem e vão, mas que nunca chegam a lugar algum, para a felicidade daqueles que se beneficiam de nossa fraca América e infelicidade daqueles que aqui vivem, ou tentam sobreviver.

3 comentários:

Nefelibata disse...

Não acho que seja frustrante ver a América Latina novamente entrando em um período de "convulsões sociais". Frustrante é ver o Brasil DORMINDO PROFUNDAMENTE. A Estabilidade política nacional é vergonhosa. Ela é forte indicativo de nossa covardia em tomar uma atitude de mudança. Afinal, nós estamos esperando pelo quê? O que está acontecendo na Bolívia e na Venezuela talvez possa nos acordar. Eu torço para que Evo Morales vença seus inimigos capitalistas e possa dar aos povos indígenas da Bolívia e de toda América um exemplo de luta.

Ousar Lutar! Ousar Vencer!

Alfredo disse...

Penso que é lamentável sim os conflitos que estão surgindo na Bolívia. Vale lembrar que trata-se de um país miserável, e um possível conflito acentuaria ainda mais esse traço. Sobre o adjetivo "cocaleiro", é preciso muito cuidado ao utilizá-lo quando se trata da Bolívia. Não podemos esquecer que para a população local a coca é uma planta como qualquer outra, sendo que os índios a utilizam a séculos para finalidades das mais diversas.

Magno disse...

Só um esclarecimento para não haver dúvidas: cacalero são aqueles que cultivam a folha de coca, desimportante o uso, pois sabemos que o uso de folhas de coca lá na Bolivia é comum em chás, balas, entre outros. Usei este termo porque sei que é diferente de traficante! rsrs