Boas Vindas!

Você está no Congresso Nacional!
Um lugar onde se junta pessoas dos mais diversos estilos, etnias, gostos e opiniões e ficam aqui, sem qualquer tipo de receio, levando a banca suas palavras e considerações sobre os mais diversos assuntos.
Vamos apresentar nossas idéias, debatê-las ao fundo e, se alguma coisa for útil, agregar às nossas, se não, engavetá-las!

segunda-feira, 17 de dezembro de 2007

Fim da CPMF. Melhor ou Pior??

eNesta semana que passou, o governo do PT teve uma de suas maiores derrotas desde a sua
entrada no Planalto: a não aprovação da prorrogação da CPMF.

Por mais de um mês tive a oportunidade de acompanhar via rádio e internet toda esta novela com traços mexicanos e a tradicional pitada brasileira. Foram semanas de reuniões e mais reuniões, acordos e desacordos, apoios de rivais e oposição de aliados, para no fim o que realmente se sobressaísse fosse a picuinha da minoria da pancada do PSDB.

O DEM, antigo PFL, estava fechado na oposição à prorrogação, os demais partidos estavam "focados" em apoiar a determinação das presidências de suas respectivas bancadas. O PT tinha suas dissidência, o PMDB não seria PMDB se não estivesse dividido e o PSDB era ao mesmo tempo contra e a favor da prorrogação, mas mesmo com o apelo dos governadores-presedenciáveis, com o apoio da maioria da bancada, a presidência da bancada peessedebista fechou voto contra a prorrogação. Uma bagunça completa, mas enfim, a votação se deu e a CPMF caiu. Fim da CPMF. Melhor ou Pior?

Pra quem achava que a bagunça e toda a novela da CPMF tinha acabado, se enganou. Um dia após a queda da CPMF, o governo passou a falar em novo orçamento, remanejamento de contas, mudança na arrecadação e até diminuição dos investimentos. Foi trágico, mas não pôde deixar de ter tom de comédia pastelão a fala do ministro da fazenda, sobre a saúde ser a mais prejudicada com a queda da CPMF, pois os investimentos nela cairão e ela perderá a qualidade... espera ai!!!! Que qualidade é esta que ele está falando???? Será que vivemos em paises diferentes? Ou seriam "apenas" mundos diferentes??

E, só pra não perder o ritmo de caos, o PSDB já fala na criação, em 2008, de um novo imposto, para suceder a CPMF. Seria consciência pesada? Admissão de um erro cometido? Ou apenas visão de futuro, visto de seus governadores-presidenciáveis não querem perdem o pote de ouro da CPMF num provável futuro próximo?

Mas o fato é que tenho escutado a opinião de vários setores, principalmente da economia, e não há um consenso sobre a queda da CPMF, se ela realmente será "mais melhor" ou pior ao Brasil.

Infelizmente percebo que nos tornamos uma população acostumada a pagar impostos. Que em vez de questionarmos e cobramos um uso melhor do arrecadado, ficamos receosos com o fato do governo perder parte desta imensa arrecadação mal empregada, desta forma, criando a possibilidade de termos um alto déficit na economia primária. Será que nunca gritaremos que estamos descontentes e que queremos que estes que nos representam o faça com um pouco mais de vergonha em suas caras? Será que jamais cobraremos um uso melhor desta montanha de dinheiro arrecadado num sistema feito para não funcionar e que vem funcionando??
Sei lá, às vezes acho que isso virou Brasil!

4 comentários:

Nefelibata disse...

A CPMF caiu e com isso eu, como poupador, saio "ganhando". Mas eu não estou nada feliz com isso. Acompanhei a luta daquela porcaria da revista Veja para acabar com este imposto. Sei muito bem que o neoliberalismo luta por se criar uma sociedade onde o Mercado venha a substituir em grande parte o Estado. Nosso mundo já caminha para uma situação onde as grandes empresas têm mais poder que os próprios Estados onde elas se instalam. Diminuiur os impostos não é o caminho para a criação de um mundo mais justo e fraterno. Deve-se, ao invés disso, criar uma nova economia onde não haja espaço para pensamentos mesquinhos e degradantes comos aqueles que guiam este grande desastre que é o capitalismo.

Wagnelson da Silva disse...

Primeiramente, seria de muito grado alguém conseguir explicar a natureza jurídica do imposto, já que trata-se de uma medida provisória e sendo assim com termo para produzir efeitos. Outra dúvida paira sobre o destino do referido imposto, já que, como nosso Amigo disse no tópico, a saúde está uma droga e não vejo como ela pode piorar sem a CPMF.
Seria um contra-senso sustentar essa vergonha por mais um ano, ainda mais quando ouve-se a palavra 'superavit' que poucos sabem seu o significado real.
Acredito que o fim da CPMF foi um bem por tempo limitado.

Magno disse...

Um fato interessante: um assalariado que receba R$ 1.000,00 por mês, terá ao final do ano descontado de seus rendimentos, contando seu 13º salário e férias, R$ 53,20.
Este valor ignora o aumento de custos e repasses nos produtos que compramos e acabamos pagando a CPMF do produtor acrescido de muito lucro sobre ela mesma.
Digo isso não pra defender a CPMF, mas só para deixar claro que o valor não é questão, mas sim a destinação, a qual, como mencionada pelo Wagnelson, se perde na corrupção e burocracia.
Entendo que a melhor opção, se esta houvesse, seria cobrar os impostos de forma única na mecanica de CPMF, pois dificilmente alguém conseguiria sonegar desta forma e seria um imposto único e visível!

Magno disse...

Se para "colorir" mais o assunto, segundo as informações do PL (partido liberal), se fosse criado um imposto único, a base da CPMF e que substituisse a todos os demais, este imposto teria o valor de 2,65% sobre movimentações bancárias.