Boas Vindas!

Você está no Congresso Nacional!
Um lugar onde se junta pessoas dos mais diversos estilos, etnias, gostos e opiniões e ficam aqui, sem qualquer tipo de receio, levando a banca suas palavras e considerações sobre os mais diversos assuntos.
Vamos apresentar nossas idéias, debatê-las ao fundo e, se alguma coisa for útil, agregar às nossas, se não, engavetá-las!

quinta-feira, 14 de agosto de 2008

GILBERTO KASSAB: politicamente correto?

No clamor das disputas eleitorais, o atual Prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, enviou à Câmara Legislativa projeto de lei no mínimo polêmico, cujo teor, além de outras ações, é a criação de pedágio urbano em áreas com trânsito saturado.

O projeto estabelece a Política Municipal de Mudança Climática, uma espécie de plano diretor com regras e metas gerais para diversas áreas, como tráfego, resíduos e construção civil.

Além do pedágio urbano, o projeto carreia possíveis soluções no que diz respeito à emissão e compensação de gases nocivos ao meio ambiente, como aqueles causadores do conhecido efeito estufa, dando ênfase as áreas de transporte.

Prevê também o texto a criação de incentivos ao uso de energias não poluentes em novos prédios e a obrigatoriedade da implantação de coleta seletiva de resíduos.

No que diz respeito ao tráfego de veículos, o projeto apresenta mecanismos para solucionar o problema do trânsito na cidade, como faixas exclusivas para carros com duas ou mais pessoas, restrição gradativa e progressiva do uso de automóveis particulares no centro da cidade, além da implantação de pedágios urbanos, cuja arrecadação seria obrigatoriamente utilizada para melhorar o transporte público.

Porém, a implantação da prática de cobrança com os locais e valores, deverão ser tratadas em lei específica, cujo projeto ainda não foi elaborado pela prefeitura paulista.

Diversas são as opiniões acerca da criação de pedágio em áreas da cidade. Aqueles que são a favor defendem a cobrança de tarifas baixas como meio de arrecadação de verbas para custear o investimento no transporte público. Já os contrários a cobrança de taxas, afirmam ser a medida manifesta “segregação social”, justificando que tarifas baixas não resultariam em arrecadação e sendo elas caras tornariam essas áreas vias para milionários.

Pesquisa feita pelo DATAFOLHA mostrou um índice de reprovação altíssimo da polução em relação a implantação de pedágios em áreas da cidade. 74% das pessoas ouvidas foram contra a implantação e apenas 24% à favor, o que torna a iniciativa de Kassab contrária à opinião dos eleitores.

5 comentários:

Fabio T disse...

Eu acho uma boa idéia, e nem é lá tão original. Boa parte das metrópoles do planeta já utilizam um sistema desse tipo.

sejO! disse...

O Prefeito certamente estudou a respeito do Pedágio Londrino (Inglaterra), que inibe a população de usar automóveis no centro da cidade. Mas em Londres, assim como muitas capitais no mundo, o transporte público é farto. Em Pequim, para as Olimpíadas, o Governo Comunista inaugurou três linhas às vésperas dos eventos esportivos, o que vai desafogar o trânsito e melhorar um pouco a poluição na capital chinesa. O uso de Ciclovias, assim como é largamente usado na Europa, beneficiaria até a saúde da população, em alguns países as ciclovias têm faixas largas como a de carros. O Transporte Solidário usado nos Estados Unidos e alguns outros países também seria uma ótima alternativa. Veículos com 2 ou mais ocupantes teriam faixas exclusivas. Algumas das alternativas para a melhora das consdições climáticas já estão dando o que falar: Acima de determinada "metragem", o imóvel é obrigado a ter aquecedor de água utilizando energia solar. A idéia é otima. a Economia de energia "hidráulica" beneficia outros campos. Mas sua aplicação é questionada devido cidades vizinhas não terem a mesma lei, o que acaba, devido seu custo de implementação ainda elevado, levar contrutoras a dar preferencia por cidades vizinhas. Não existe Paulistano ou mesmo vizitante que não tenha, depois de tantas polêmicas, gostado de ver a cidade livre de Painéis de publicidade. a Cidade está limpa, a idéia está sendo copiada inclusive aqui em Guarulhos. Nada mais justo então, que possamos circular melhor, respirar melhor e ver melhor! Isso é politicamente e ecologicamente correto!

http://www.fetranspor.com.br/revista_onibus/revista48_urbanismo.htm
http://www.skyscrapercity.com/showthread.php?referrerid=39159&t=668166
http://www.abciclovias.com.br/content/view/29/38/
http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2003/030217_pedagiomtc.shtml
http://g1.globo.com/Noticias/SaoPaulo/0,,MUL22769-5605,00.html
http://www.aceguarulhos.com.br/content.php?m=20071129093512

Darth Magnus disse...

A história do pedágio ficou para depois, pois Kassab não pretende se queimar mais do que já está e piorar ainda mais a sua situação nestas campanhas municipais.

Um fato que eu acho realmente antagônico a tudo que é falado sobre melhorias de transito e clima é as proibições e restrições a circulação de ônibus fretados em várias avenidas e ruas do município de São Paulo. Sabe-se que um ônibus pode tirar uns 30 veículos de passeio, não sei quanto a geração de poluentes, mas acho que um ônibus apesar de ser a diesel, deve poluir menos que uns 30 carros de passeio.

Vai entender estas políticas... ao mesmo tempo que incentivam, inibem o transporte solidário na cidade de São Paulo.

Anônimo disse...

Como é uma medida de alto impacto, especialmente na classe média, o pedágio urbano foi demonizado na campanha eleitoral paulistana. Chega-se a dizer que esse recurso, imagine, ataca os pobres. Perde-se uma chance, por falta de grandeza dos candidatos, de colocar com transparência uma medida que, mais cedo ou tarde, a cidade terá de tomar --e quanto mais tarde, pior. Até porque o pedágio está cada vez mais caro.

É fácil entender o pedágio quando se mede quanto um motorista gasta a mais por causa dos congestionamentos. Ou quanto se paga nos escorchantes estacionamentos. Ou até no pedágio diário aos flanelinhas.

Paga-se também pedágio nas horas paradas no trânsito, o que significa menor produtividade que se traduz em menos dinheiro no bolso.

Uma série de cidades tem optado pelo pedágio urbano (e com boa aceitação) porque, ao mesmo tempo em que se tira o carro da rua, aumenta-se a arrecadação para aprimorar os transportes públicos --isso sim beneficia o pobre.

Estão perdendo uma chance de lançar uma proposta para a sociedade e, pior correndo o risco de lançar a medida quando não sobrar quase nenhuma alternativa. Enquanto isso, os desinformados vão pagando cada vez mais pelo pedágio.

Darth Magnus disse...

É apenas uma questão de tempo até o pedágio ser oficializado e instituido. Só não foi agora, por causa da eleição. Sim... é uma pena... pois sabemos que a população não pensaria de forma racional e a longo prazo, mas somente em seu mundinho atual, e não votaria em quem apoiasse o pedágio e, por outro lado, poucos são aqueles políticos que fazem as coisas pensando de forma macro e a longo prazo, sem se preocupar com o desgosto passageiro das pessoas que não tentam medir as consequências dos atos.

Sem fazer apologia a qualquer apologia à pessoas, o ultimo que lembro ter feito algo que desagradasse a população de forma imediata, mas que a beneficiasse a longo prazo, foi o Fabio Feldmam, na época secretário de Sampa, ao instituir o rodízio. Na eleição seguinte, não deu outra... não se elegeu...