Boas Vindas!

Você está no Congresso Nacional!
Um lugar onde se junta pessoas dos mais diversos estilos, etnias, gostos e opiniões e ficam aqui, sem qualquer tipo de receio, levando a banca suas palavras e considerações sobre os mais diversos assuntos.
Vamos apresentar nossas idéias, debatê-las ao fundo e, se alguma coisa for útil, agregar às nossas, se não, engavetá-las!

domingo, 12 de outubro de 2008

Ahhhh... vá para o espaço!!!!!

O que antes era apenas citado em contos de ficção científica hoje é realidade e, mais que isso, está se tornando cotidiano. Nesta madrugada (12/10 - Brasil) a Rússia mandou o sexto "turista espacial" à ISS (Estação Espacial Internacional).

É impressionante como o antigo e o novo caminham lado a lado. Enquanto ainda temos mortes aqui na Terra ocasionadas por divergências étinicas e religiosas, por fome e por pura ganância, em contrapartida, temos expedições espaciais tripuladas até com turistas... quanto antagonismo...

Seria uma boa se pudêssemos aliar esta tecnologia espacial ao nosso cotidiano "mundano" e começar a mandar para o espaço (literalmente e sem viagem de volta) àqueles que o fazem por merecer. Mas será que teríamos naves suficientes para isso? Acho que não... e tenham em mente que só estou imaginando quem, aqui do Brasil, mereceria participar de tal "excursão". São muitos...

É completamente inconcebível eleger apenas um para tal expedição espacial. Acho que logo teríamos uma "ponte aérea espacial", com saidas de meia em meia hora para dar conta de tanta demanda. Isso seria algo perigoso, pois logo o espaço não seria apenas vácuo... e sim um grande depósito de lixo humano.

Ops... mas retomando ao assunto em sí, é bem interessante viver este momento em que vivemos, pois estamos presentes na "ponte temporal" que liga a nossa medieval realidade mundana à era espacial dos contos de ficção. Um momento da história que estamos nos desenvolvendo, deixando de sermos apenas macacos num grande jardim com bananas para nos tornarmos verdadeiros exploradores e colonizadores espaciais.

Só espero o dia em que todo este avanço tecnólogico espacial se faça presente em nosso dia-a-dia, assim como esta ideologia de busca constante pelo conhecimento e desenvolvimento da raça humana. E que este dia venha o quanto antes! Pois nesse ritimos que vamos, antes do macaco se tornar explorador espacial, já terá acabado com todas as bananas do jardim e morrido de fome...

8 comentários:

Dirty Evil Bastard disse...

Eu prefiro ficar e acabar com as bananas numa boa. O jardim ainda comporta a vida de mais um macaco inexpressivo em cima da torta vagando pelo infinito.
Conformismo ou não, eu me identifico com a figura do macaco e a idéia de acabar com as bananas parece bastante confortável heh

Wagnelson da Silva disse...

A idéia de viajar ao espaço me parece muito interessante, tendo em vista que muitos proveitos podem ser, e serão, trazidos para nossa realidade cotidiana.

Infelizmente, poucos seres humanos terão a felicidade de desfrutar uma viagem intergalática, tendo em vista que muitos se quer viajam de "zévião", quem dirá numa espaçonave, a não ser que se inicie uma guerra espacial, algum tipo de Star Wars para disputar territórios com outras raças.

Ao mesmo tempo que me sinto empolgado com a idéia espacial, sinto-me envergonhado com toda desgraça que assola nosso planeta. Fome, doenças incuráveis, destruição ambiental, pestes, corrupção, descaso com a população mundial, pois nem arrumamos a casa e já pensamos em distribuir mais disso tudo por aí.

Como diria Machado de Assis: "não deixarei legado da minha miséria", nem aqui, nem aculá. Acho que nossos governantes, lideres mundias, donos do mundo, ou seja lá como queiram ser intitulados, deveriam se preocupar com coisas mais urgentes, pois, por enquanto, viagens inter-aláticas não geram votos, portanto são desnecessárias.

Dirty Evil Bastard disse...

Eu entendo seu raciocínio Wagnelson, mas acho ingênuo e, por consequência, discordo.
Esses tipos de experiências tem muito mais a acrescentar ao conhecimento humano que buscar o fim na miséria do continente africano ou coisas do gênero. Não o fato de levar um turista ao espaço (ele funciona só mais como um patrocinador), mas buscar o desconhecido. Por aqui o acelerador de partículas foi amplamente criticado, por exemplo, e é um experimento extremamente singular e vale todos os milhões gastos nele, eu penso.

Wagnelson da Silva disse...

Bom, a minha ingenuidade me levou a buscar os números atuais da fome.

No dia 18 de setembro de 2008. foi divilgado no site da FAO - Food and Agriculture Organization of the United Nations, os números atuais da fome que, no mínimo, mostra a falta de vergonha dos nossos lideres mundiais, que, usando das paixões populares, ignoram a necessidade de se fazer politica séria para combater a fome que assola o mundo, e que, possivelmente, irá devastar regiões inteiras.

http://www.fao.org/newsroom/en/news/2008/1000923/

Vejam, que a princípio, a preocupação em combater a fome parece "discurso batido", que pouco adiantaria combater a fome, mas uma coisa é certa: ela está crescendo com o descaso que há anos vimos, sem que providências sejam tomadas para combater esse problema.

Claro que explorar o universo é algo importante, que trará inúmeros benecíficos para a humanidade, sem contar o conhecimento. Mas não podemos aceitar de forma tão hipócrita que essa seja nossa prioridade do momento.

Infelizmente, é comum presenciar declarações como a do nosso colega irlandes, e como é comum também, não posso me calar diante de tamanha insipiência.

Leiam os textos e apreciem os números, dispensando meus comentários, se quiserem.

Dirty Evil Bastard disse...

Bom, eu só queria salientar que eu disse que "entendo seu raciocínio", só acho ingênuo no sentido de que uma coisa estaria anulando outra. Não é deixando de explorar campos misteriosos do conhecimento humano que se estará beneficiando o combate a fome, no caso citado.
Mas atacando um outro ponto do seu comentário quando diz que "Mas não podemos aceitar de forma tão hipócrita...". Você não estaria em posição de dizer o que cada um deve aceitar ou não e ainda julgar se isso é hipócrita ou não. Minha intenção não é apelar ao relativismo suave e acredito estar longe de ser imprudente ou insensato como sugeriu o amigo.
A questão do combate a fome vai muito além de desviar recursos destinados a pesquisas científicas (que indiretamente podem ainda beneficiar essa sua idéia). E em minha opinião pode-se sim aceitar a exploração espacial como prioridade. Pode-se ter, inclusive, mais do que uma prioridade, se for o caso.

Wagnelson da Silva disse...

Não estou sobre um palanque discursando a respeito de uma melhoria do sistema. Tampouco, estou impondo qualquer ponto de vista àqueles que aqui passam.

Minhas palavras, como disse anteriormente, poderia muito bem ser ignorada, bastando apenas uma breve leitura da matéria que indiquei.

Não dedico minhas idéias apenas aquilo que "acredito ser melhor", mas tenho senso que a fome, partindo daquilo que conhecemos como "dignidade da pessoa humana", sobrestaria qualquer idéia espacial, não por ser desnecessária ao desenvolvimento do homem em relação ao conhecimento, mas sim porque a prioridade Fome já está há muito esquecida.

Apenas quero alertar que enquanto discutimos a minha ingenuidade ou se o mundo é hipócrita, milhões de pessoas morrem por conta da fome, das drogas, do trânsito, das doenças, e tantas outras coisas.

Darth Magnus disse...

Como eu disse no texto, pra mim tudo isso é uma realidade pertubadora, mas não deixa de ser empolgante.

Claro que a fome é um dos grandes problemas da humanidade presente aqui no chão, ou seja, 100% menos alguns..., mas a ciência espacial e a ciência alimentar, apesar de parecerem distantes, caminham próximas, pois o avanço tecnológico necessário para a confecção dos alimentos para astronautas vai, aos poucos, sendo assimilado pela produção "mundana", o que gerará eficiência a longo prazo.

Sim, o problema é aqui e agora e não a longo prazo, mas entendo que os milhares e milhares de dolares e euros gastos com experiências espaciais não fariam qualquer diferença se realocados no combate a fome, pois, para mim, o maior impedimento ao combate a fome é a questão da vontade, ou sua falta, por parte das autoridades cabíveis. De nada adiantaria colocar mais dinheiro onde falta vontade.

Dirty Evil Bastard disse...

Sintetizou muito bem, caro Darth.

É exatamente o ponto de "não-diferença" na realocação de recursos destinados ao acelerador de partículas (por exemplo) que eu ataquei o comentário do wagnelson e apontei como ingênuo.
Só faço 2 mais adendos a discussão:
1) Embora milhares de pessoas estão morrendo enquanto discutimos, elas continuarão morrendo se pararmos. Eu opto por ter algum prazer enquanto esse fato terrível e imutável está acontecendo, estaria trepando se pudesse, mas só sobrou o blog mesmo.
2) Magno, concordo que boa parte da iniciativa deveria vir dos governos. Mas sabemos que nada vai acontecer se não houver um retorno. Não vou entrar em detalhes sobre esse assunto, mas também existem muitas maneiras de pessoas comuns como você, wagnelson e eu ajudarem. Exemplo?
- www.endpoverty.org
Entre tantos outros.