Boas Vindas!

Você está no Congresso Nacional!
Um lugar onde se junta pessoas dos mais diversos estilos, etnias, gostos e opiniões e ficam aqui, sem qualquer tipo de receio, levando a banca suas palavras e considerações sobre os mais diversos assuntos.
Vamos apresentar nossas idéias, debatê-las ao fundo e, se alguma coisa for útil, agregar às nossas, se não, engavetá-las!

domingo, 11 de maio de 2008

“LIMPEZA SOCIAL”



Enquanto o povo se prepara para julgar um dos casos mais polêmicos de toda a história policial brasileira, um movimento social vem ganhando força. Classificado como “Limpeza Social”, o movimento foi identificado em diversas regiões do país e, segundo a Folha On Line, já vitimaram cerca de cinco moradores de rua.

Alguns meses antes, fora exibido uma matéria no Fantástico denunciando o descaso da prefeitura de Sta. Isabel – SP em relação aos moradores de rua daquela cidade. A denúncia consiste numa operação de “limpeza paisagística” que vem se operando na cidade. Moradores de rua são retirados das praças e levados para outras cidades, e o que é pior, entram nas estatísticas sociais da região.

Nesta semana, foi divulgado em alguns jornais que o método de limpeza foi aderido pelo povo, sendo registrados vários casos de violência contra os moradores de rua. Na madrugada desse domingo, 11 de maio, uma jovem moradora de rua foi incendiada e queimou até morrer. Informações de pessoas próximas a vítima garantem que ela descobriu recentemente que estava grávida.

Outros três moradores de rua foram executados a tiros enquanto dormiam na cidade de Vitória –ES. Para a polícia local, os crimes “podem ter sido um ato de limpeza social praticado por pessoas insatisfeitas com a presença das vítimas”.

Embora os crimes sejam praticados contra moradores de rua e pelas informações divulgadas todos foram presenciados por, pelo menos, uma testemunha, ninguém foi indiciado.

3 comentários:

Lucimara disse...

Para os gavernantes é muito mais fácil encaminhar "o problema" da mendigagem para outras localidades, do que tentar dar um mínimo de condição para o miserável viver em condições dignas de um ser humano.

Enquanto ninguém tomar uma atitude, inclusive a própria sociedade que está aceitando a prática da "limpeza social", a tendência é a cada dia nos depararmos com notícias de moradores de ruas queimados por aí.

Tudo começou com o assassinato brutal do índio patachó, mediante o emprego de fogo, e agora ninguém sabe como e com quem isso vai terminar.

Darth Magnus disse...

Não Lucimara, isso não começou com a hedionda morte do indio pataxó em Brasilia, pelos filhos de "boas famílias", mas sim vem ocorrendo há várias e várias decadas, com apolítica de coronéis do nordeste, enviando seus miseráveis para o sul do páis, dando uma falsa esperança de que chegando aqui, tudo será mais fácil.

E esta "limpeza social" sempre ocorre em menor ou maior grau. Quem não lembra da visita do presidente estadunidense em 2007 ao Brasil?? Todas as favelas que estavam em suas rotas foram retiradas ou escondidas por tapumes.

É vergonho como sempre é mais fácil resolver o problema acabando com suas vítimas. Mas temos que lembrar que a maioria de nós somos tão culpados quanto àqueles que ateam fogo, matam a pauladas ou atiram mortalmente nestes desafortunados cidadãos de um páis tão rico e injusto. Somos nós que aceitamos toda esta situação e, muito mais que isso, somos nós que os incentivamos a permanecerem como emndigos, ao darmos trocados, sobras de comidas e pedaços de papelões, ao invés de tentarmos ajudá-los de verdade através de oportunidades reais.

Sei que muitos deles não mais querem sair desta vida por acharem que seria dificil começar, ou voltar, a correr atrás de seus sonhos, mas somos tão covardes ao apenas darmos uma moeda e pensarmos que estamos fazendo a nossa parte!

sejO! disse...

Nestes casos o predador não tê, disciminação para entender que alí, embaixo do cobertor pode estar eu pai, ou seu filho.
A presa, fácil, não têm formação para sair dessa situação.
Em paralelo a isso, de um lado o governo, a justiça, morosa e burocrática acaba esquecendo o cidadão.
Do outro lado a sociedade que fingi não ver, torcendo para que a redução da pobreza seja lá de qual forma ocorra mais rápido.